Terço - Rosário - Porcelana Petra - Feito à mão

Código: 7G63VX77H Marca:
R$ 90,00
até 10x de R$ 9,00 sem juros
Comprar Disponibilidade: Imediata Aproveite! Resta apenas 1 unidade
    • 1x de R$ 90,00 sem juros
    • 2x de R$ 47,03
    • 3x de R$ 31,81
    • 4x de R$ 24,21
    • 5x de R$ 19,65
    • 6x de R$ 16,61
    • 7x de R$ 14,39
    • 8x de R$ 12,76
    • 9x de R$ 11,50
    • 10x de R$ 10,49
    • 11x de R$ 9,67
    • 12x de R$ 8,98
  • R$ 90,00 Boleto Bancário
* Este prazo de entrega está considerando a disponibilidade do produto + prazo de entrega.

Terço Artesanal de Porcelana Preta

 

Feito manualmente e cada conta foi colocada com muito cuidado.

Contém a Medalha Milagrosa com os dizeres “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós”. O sacerdote pode dar uma benção especial nesta medalha.


O crucifixo tem um banho especial para que a durabilidade seja prolongada.


As cores das pedras são bem próximas à da foto, alguma alteração deve-se aos meios digitais.


SE VOCÊ GOSTOU DESSE TERÇO, NÃO PENSE DUAS VEZES, POR SER UM PRODUTO ARTESANAL, ELE É ÚNICO!!!
 

Características:
- Pedra: Porcelana
- Cor predominante das contas: Preto
- Tamanho aproximado do terço: 58 cm
- Tamanho das contas: 8 mm

 

 

A História da Medalha Milagrosa

Medalha milagrosa e todo seu mistério teve origem em Paris, França, no dia 27 de Novembro de 1830. Quando a noviça Catarina Labouré entrou na capela da congregação para fazer suas orações. Ela era uma noviça da Congregação de São Vicente de Paulo. Nesse dia a Virgem Maria apareceu e fez uma revelação que se transformaria numa onda extraordinária de milagres e maravilhosas conversões. A revelação era a Medalha Milagrosa de Nossa Senhora das Graças. Ela é, sem dúvida, uma grande revelação do amor do Pai pela humanidade. Amor este que se manifesta através de Nossa Senhora.

O relato de Catarina Labouré
Veja o relato de santa Catarina Labourésobre a aparição. Ela escreveu assim: "...uma Senhora de mediana estatura, de rosto muito belo e formoso... Estava de pé, com um vestido de seda, cor de branco-aurora. Cobria-lhe a cabeça um véu azul, que descia até os pés... As mãos estenderam-se para a terra, enchendo-se de anéis cobertos de pedras preciosas. A Santíssima Virgem disse-me: ‘Eis o símbolo das Graças que derramo sobre todas as pessoas que mas pedem ...’ Formou-se então, em volta de Nossa Senhora, um quadro oval, em que se liam, em letras de ouro, estas palavras: ‘Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós, que recorremos a Vós’. Depois disso o quadro que eu via virou-se, e eu vi no seu reverso: a letra M, tendo uma cruz na parte de cima, com um traço na base. Por baixo: o Sagrado Coração de Jesus e o Sagrado Coração de Maria. O de Jesus, cercado por uma coroa de espinhos em chamas, e o de Maria também em chamas e atravessado por uma espada, cercado de doze estrelas. Ao mesmo tempo, ouvi distintamente a voz da Senhora, a dizer-me: ‘Manda, manda cunhar uma medalha por este modelo. As pessoas que a trouxeram, com devoção, hão de receber muitas graças”.

Certificado de garantia
O relato de Catarina contém informações extraordinárias e maravilhosas. E o que dá um “certificado de garantia” a essa aparição é a inscrição que Nossa Senhora apresentou na visão: “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós, que recorremos a Vós”. De fato, qualificação “Concebida sem pecado”, fazendo referência à Virgem Maria, ainda não era mencionada na época nem nas orações, nem nos escritos sobre Nossa Senhora. É verdade que os cristãos sempre acreditaram nessa verdade desde o começo da Igreja. Isso, porém, não tinha sido afirmado num dogma. Alguns teólogos em Roma começavam a mencionar esta verdade – a da Concepção Virginal de Maria – mas o assunto circulava apenas entre teólogos e especialistas clérigos em Roma. Era impossível que uma noviça francesa tivesse conhecimento dessa verdade naquela época. Por isso, a visão da Ir. Catarina revelando que Maria foi “Concebida sem pecado” dá uma garantia de veracidade ao relato da noviça.

Medalha Milagrosa favorece a proclamação de um dogma
Tanto que, no ano 1854, apenas vinte e quatro anos depois das aparições, o dogma da Imaculada Conceição foi proclamado oficialmente. A proclamação foi feita pelo Papa Pio IX. Em seu decreto, ele afirma que pelos merecimentos da paixão e ressurreição de Cristo e por ação especial de Deus, a Mãe de Jesus foi livre do pecado original desde o começo de sua vida, ou seja, desde o momento em que foi concebida. Nossa Senhora mesmo confirma isso quatro anos depois, ao aparecer em Lourdes, para Bernadete Sobirous.
Em Lourdes, Nossa Senhora disse a Bernadete: “Eu sou a Imaculada Conceição”. A expressão Imaculada Conceição significa ser concebida sem a marca do pecado original. Se isso não basta para dar um “certificado de garantia” a aparição de Maria a Catarina Labouré, os fatos que aconteceram depois o dão de sobra.

Nossa Senhora insiste
Passados poucos meses após as aparições, Catarina Labouré foi transferida para um asilo de velhinhos chamado Enghien XII, em outro bairro de Paris. No asilo, ela se dedicava ao cuidado dos idosos obedecendo à vocação da congregação de São Vicente de Paulo. Porém, em seus momentos de oração, uma voz a inquietava dizendo: “É preciso fazer cunhar a medalha!” Catarina tinha um confessor que se chamava Padre Aladel. Ela falou a ele sobre este pedido de Maria. Padre Aladel resistiu em acreditar que a voz vinha realmente de Nossa Senhora mas, por fim, resolveu consultar o Arcebispo de Paris que, na época, era Dom Jacinto Luís de Quélen. O arcebispo, depois de ouvir a história, conversar com Catarina e submeter tudo a um longo processo de discernimento, autorizou que as medalhas fossem cunhadas.

Os milagres da Medalha Milagrosa
Em 1832, aconteceu que uma violenta epidemia de cólera infestou Paris e levou à morte  mais de vinte e duas mil pessoas. Nessa mesma época o Pe. Aladel tinha mandado cunhar o primeiro lote de duas mil Medalhas, que foram à congregação de São Vicente. As irmãs, mais do que depressa, passaram a distribuir as medalhas ao povo. Era o mês de junho e estavam bem no meio da epidemia. Então, curas milagrosas começaram a acontecer, livrando um grande número de pessoas da morte. E, junto com as curas, verdadeiras conversões e inúmeros depoimentos atestando a proteção de Deus para aqueles usavam a Medalha.
Por tudo isso, a devoção se alastra velozmente. O povo de Paris começa a chamar a medalha de "milagrosa".

Devoção a Medalha Milagrosa
Foi tudo tão impressionante que, em 1834, já tinha mais de 500 mil Medalhas oficialmente cunhadas. No ano seguinte, elas já eram mais de um milhão. Em 1839, o número passou de dez milhões! Em 1876, quando CatarinaLabouré faleceu, mais de um bilhão delashaviam sido cunhadas pelo mundo!
Imagine o número infinito de fiéis rezou e reza a jaculatória ensinada por Maria a Santa Catarina Labouré"Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós, que recorremos a Vós". Esse grito, sem dúvida, ecoou em Roma. E ele certamente influenciou o papa na decisão da proclamação do dogma especialíssimo da Imaculada Conceição.
Alguns anos mais tarde, o papa Pio XII escreveu: “Esta piedosa medalha foi, desde o primeiro momento, instrumento de tão numerosos favores, tanto espirituais como temporais, de tantas curas, proteções, e sobretudo conversões, que a voz unânime do povo chamou-a, desde logo, "Medalha Milagrosa”.

Os símbolos da Medalha Milagrosa
Os símbolos encontrados na Medalha Milagrosa são ricos de significados. Na parte frontal vê-seNossa Senhora e a jaculatória escrita:“Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós, que recorremos a Vós”. Esta jaculatória confirma o dogma da Imaculada Conceição e pede a intercessão de Maria. No reverso, vemos a cruz de Cristo sobre a letra M, de Maria. Este símbolo coloca Maria em seu devido lugar: abaixo de Jesus. O Sagrado Corações de Jesus e o de sua Mãe, simbolizam o amor divino e maternal de Jesus e de Mariapela humanidade e por cada pessoa individualmente. Os espinhos a espada simbolizam os sofrimento pelos quaisJesus e Maria passaram.
Por isso, a Medalha Milagrosa de Nossa Senhora das Graças é tão especial. Levá-la é confessar a Imaculada Conceição; é amparar-se no coração de Jesus e no coração de Maria; é acreditarem todas as graças que Nossa Senhora pode conseguir para todos; é acreditar na proteção de Maria contra perigos do mundo e, acima de tudo, os perigos espirituais.
Informações retiradas do site cruzterrasanta

Produtos relacionados

R$ 90,00
até 10x de R$ 9,00 sem juros
Comprar Disponibilidade: Imediata Aproveite! Resta apenas 1 unidade
Sobre a loja

Bordados Computadorizados em Jundiaí/SP de alta qualidade e personalizados. Atendimento personalizado também por telefone e e-mail. Confeccionamos alfaias liturgicas bordadas com bordados religiosos conforme necessidade da sua paróquia ou diocese.

Pague com
  • Mercado Pago
Selos
  • Site Seguro

Paula - CPF: 357.439.868-94 © Todos os direitos reservados. 2021